Indústria aeroespacial

Atualmente as companhias aéreas em todo o mundo transportam 3,5 bilhões de passageiros por ano. Até 2030 estes números deverão quase triplicar. Por isso elas estão expandindo suas frotas: em uma única feira aérea em Abu Dhabi, as companhias investiram 100 bilhões de dólares na compra de jatos de médio e longo percurso. A notícia em si é positiva, mas a tarefa tem que ser cumprida. As companhias aéreas precisam dos aviões pontualmente. Isso exige um enorme crescimento em curto prazo, não só nas instalações das fabricantes de aviões, mas também na extensa rede de fornecedores. Só a coordenação de mais de quatro milhões de peças de um jato widebody (fuselagem larga) mostra a demanda logística para cadeias de fornecimento cada vez mais complexas. Para a indústria, uma excelente interação, tanto no sistema como nos processos, vai agora para o primeiro plano. Nessa base, produtos de alta qualidade alcançam o cliente com segurança.

Questões centrais

  • A indústria aeroespacial cresce vertiginosamente – como organizar nosso modelo empresarial para gerenciar esse crescimento?
  • Temos o portfólio certo de produtos e serviços?
  • Como resolvemos impasses?
  • Todas as competências e tecnologias centrais estão claramente definidas?
  • Como melhorias contínuas tornam-se parte integrante da cultura corporativa?

Estratégias e soluções

Desde 2005 a Porsche Consulting fechou com sucesso mais de 200 projetos aeroespaciais. Com 40 experientes especialistas da indústria, a equipe internacional de consultores cobre uma gama diversificada de especializações – tanto na produção como na manutenção e na operação de aeronaves comerciais.

No centro do nosso trabalho está a coordenação aperfeiçoada da cadeia de abastecimento. Tomando a indústria automotiva como exemplo, é possível realizar com segurança aumentos de eficiência até mesmo nas mais complexas estruturas. Três fatores-chave são decisivos: transparência nos processos, melhor qualidade de planejamento e mais profissionalismo baseado em uma nova compreensão de papéis. Aqui, as fabricantes de aeronaves é que dão o tom. Elas assumem a responsabilidade de planejamento de toda a cadeia de fornecimento: inovações em produtos, por exemplo, são preparadas de forma transparente e meticulosa. O fornecedor de primeiro nível se torna um elo entre as fabricantes e a rede de fornecedores e impulsiona as inovações ainda mais. Desta nova compreensão dos papéis, compartilhada por ambas as partes, resulta uma melhor cooperação entre todas os envolvidos. Esse modelo otimiza todo o sistema.

A análise de empresas da Porsche Consulting, comprovada no ramo, torna visível as mudanças necessárias para colocar em prática o portfólio de produtos planejado. Empresas de aviação muitas vezes crescem por meio de aquisições, sendo fortemente marcadas por diversas divisões como manutenção, defesa ou aeroespacial. A isso liga-se um pensar rígido em categorias. Competências existentes em diferentes divisões não estão conectadas para além das diferentes áreas. A análise da Porsche Consulting fornece uma valiosa visão geral sobre as tecnologias e competências à disposição, permitindo um ajuste dos recursos com as necessidades futuras. Um exemplo prático é o processamento de materiais de fibra de carbono: o know-how nesta área pode ser utilizado tanto para peças de estrutura na construção de aviões comerciais como para a construção leve aeroespacial ou para componentes de alto desempenho no setor de defesa.

Atualmente, companhias aéreas internacionais encomendam mais aviões do que as fabricantes em todo o mundo são capazes de produzir. Com isso, prazos de entrega prometidos são colocados em perigo. Fabricantes que respondem a isso com uma aceleração na produção precisam de estabilidade máxima. A Porsche Consulting já testou com sucesso esse tipo de concepção. Na fábrica de um cliente foi possível aumentar as taxas de produção em dez por cento. Em uma auditoria, todos os processos foram analisados e minuciosamente comprados com valores de referência. Assim, foi possível determinar exatamente em quanto as taxas podiam ser aumentadas. Os consultores da Porsche identificaram a instalação de equipamentos em um hangar como “gargalo” contraprodutivo. Três linhas de produção abasteciam seções para a fuselagem traseira dos aviões e dez estações de trabalho foram equipadas com aparelhos eletrônicos e cabos. Apesar de se ter trabalhado duro, as peças ficaram acumuladas no hangar. Para eliminar esses obstáculos, as tarefas de trabalho foram redistribuídas e foi criada a décima primeira estação de trabalho. Para isso, o planejamento do tempo foi adaptado.

Normalmente, os consultores dão suporte aos seus clientes em três tipos de cenário:

  1. Industrialização rápida de novos programas de aviões
  2. Aumento de taxas em modelos de aviões atuais
  3. Construção de locais de produção adicionais com base em fábricas padrão e redes de produção integradas

Estoques são enganosos e dão uma falsa sensação de segurança. Embora num primeiro momento pareça difícil acabar com eles, isso só traz benefícios. Estoques pequenos significam mais capital para investimentos e uma capacidade de reação mais rápida por parte da empresa. Os consultores da Porsche fornecem resultados mensuráveis com uma gestão ativa de estoques e alcances. Sendo assim, diversas condições são criadas para eliminar estoques desnecessários. Em seguida, a cadeia logística ideal é definida, desde o fornecedor até a montagem final de cada componente individual. Parâmetros de sistema, tais como estoque de segurança e tempos de produção, são especificados a fim de regular os alcances, que são regularmente monitorados. As experiências na indústria de fornecimento da aviação mostram que o nível de estoque de matérias-primas e produtos semiacabados pode ser reduzido em até 25 por cento. Para produtos finais são possíveis 15 por cento de redução comprovados. As mudanças têm que ser refletidas também na organização. Por isso é necessário que sejam estabelecidas as pessoas e as funções responsáveis por essas áreas. Como parte da cultura corporativa esses padrões fornecem uma contribuição para o aumento duradouro da eficiência.

Aviões só ganham dinheiro estando no ar. O ideal é que um avião voe 365 dias por ano. Qualquer complicação afeta a pontualidade e, portanto, a rentabilidade de uma linha aérea. Com uma abordagem voltada para a indústria, a Porsche Consulting examina formas de trabalhar estabelecidas nos processos de manutenção, no transporte de bagagem, no atendimento de passageiros, assim como no despacho do avião. Por exemplo, na manutenção: a metodologia sofisticada dos consultores da Porsche reduz o chamado tempo de inatividade em 20 a 30 por cento, o que dá à companhia uma disponibilidade adicional de vários dias por avião. Potenciais semelhantes também são encontrados nas outras áreas de operação aérea, onde todo ano as companhias têm que gastar quantias imensas devido ao atraso da chegada da bagagem ou dos passageiros.

Contato

Rüdiger Leutz

Diretor
Porsche Consulting Ltda., Brasil

Tel.: +55 11-303-68911
E-mail: Ruediger.Leutz@porsche.de
Av. Dr. Chucri Zaidan 1240
Ed. Golden Tower - 25º andar
04711-130 – São Paulo – SP
Brasil

Rüdiger Leutz

Diretor
Porsche Consulting Ltda., Brasil

Tel.: +55 11-303-68911
E-mail: Ruediger.Leutz@porsche.de
Av. Dr. Chucri Zaidan 1240
Ed. Golden Tower - 25º andar
04711-130 – São Paulo – SP
Brasil